O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, sugeriu que o calendário de saque das últimas parcelas do auxílio emergencial de 2021 também sejam antecipados, assim como o da primeira, que começou a ter seu depósito feito no dia 6 aos beneficiários nascidos em janeiro que não são contemplados pelo Bolsa Família.

No entanto, Guimarães deixou evidente que qualquer alteração no calendário de pagamento das parcelas restantes depende de novas análises a partir do ponto de vista operacional.

“Avaliando o pagamento do primeiro ciclo, também poderemos realizar a antecipação dos pagamentos do ciclo 2, 3 e 4. Contudo (vai ser) exatamente como foi feito agora: publicamos o calendário primeiro, vimos como seria a dinâmica de pagamento – tanto pelo Caixa Tem quanto de filas eventuais nas agências -, notamos que estávamos indo bem e aí decidimos antecipar”, disse ele.

Antecipação do saque do auxílio emergencial

A antecipação do saque do auxílio emergencial foi anunciada pelo presidente da Caixa e posteriormente confirmada no site oficial do banco. Também foram adiantadas as datas de depósitos de 2 grupos de beneficiários, respectivamente um dia antes do previsto inicialmente, sendo eles:

  • Nascidos em novembro – depósito 28 de abril;
  • Nascidos em dezembro – depósito 29 de abril.

Com essa mudança, os nascidos em janeiro agora poderão realizar o saque do auxílio emergencial a partir do dia 30 de abril. O calendário da primeira parcela vai até o dia 17 de maio, quando será a vez daqueles nascidos em dezembro realizarem o saque em espécie do benefício, se assim desejarem.

Confira o calendário de saques em dinheiro da primeira parcela do auxílio emergencial:

tabela_adiantamento_auxilio

Contudo, é importante ter atenção, visto que essa antecipação se refere somente aos beneficiários que não recebem Bolsa Família. Estes, além de seguirem o calendário natural do programa, também são autorizados a realizarem o saque assim que o valor for depositado na conta. Portanto, aquele com NIS finalizado em 1, por exemplo, já pode fazer a retirada do dinheiro.

 

No mais, vale mencionar que o auxílio emergencial dos beneficiários do Bolsa Família não tem caráter cumulativo, assim só irá receber aquele que for de valor maior.

Mesmo com antecipação, ainda é possível usar os recursos pelo Caixa Tem

 

Mesmo com essa antecipação dos saques, continuará à disposição dos beneficiários a opção de usar os recursos através do aplicativo Caixa Tem. Nesse caso, o valor poderá ser utilizado para:

  • Pagamento de boletos;
  • Compras na internet;
  • Maquininhas de estabelecimentos comerciais de todo o território nacional.

Como saber quem irá receber?

O governo disponibilizou 3 canais importantes para que o beneficiário faça a consulta do benefício, para assim saber se tem direito ou não. São eles:

  1. Portal da Dataprev – consulta feita mediante as informações do CPF, data de nascimento, nome da mãe e data de nascimento;
  2. Site da Caixa Econômica Federal – consulta feita mediante as informações do CPF, data de nascimento, nome da mãe e data de nascimento;
  3. Pelo telefone 111 – Esteja com seus dados em mãos para informar.

Valor do auxílio emergencial de 2021

O valor do auxílio emergencial de 2021 depende de cada beneficiário, sendo dividido da seguinte forma:

 

  • R$ 150,00 – destinado para quem mora sozinho;
  • R$ 250,00 – famílias com mais de uma pessoa e que não sejam chefiadas por mulheres;
  • R$ 375,00 – famílias chefiadas por mulheres.

De acordo com os dados divulgados, maior parte dos beneficiários irão receber o menor valor do auxílio, que é de R$ 150,00 mensais. Serão quase 20 milhões de famílias contempladas na categoria “unipessoal”, isto é, formadas somente por uma pessoa. Portanto, o número equivale a 43,6% do público total estimado para essa nova rodada.

 

Por sua vez, mais de 16,3 milhões de famílias com mais de um integrante irão receber R$ 240,00. Enquanto pouco mais de 9 milhões de mulheres que são as únicas provedoras da família irão receber o valor de R$ 375,00.

Os dados foram divulgados pelo Ministério da Cidadania, contudo oficialmente o Governo manteve o discurso central de valor médio de R$ 250,00 e existe uma explicação para isso. A estratégia foi adotada após a insatisfação de aliados e dos próprios beneficiários do auxílio emergencial. Afinal, houve uma diminuição significativa no valor de ajuda, que teve início em abril de 2020 com R$ 600,00 e caiu para R$ 300,00 em setembro até dezembro do ano passado.